A MELHOR INFORMAÇÃO

sexta-feira, 5 de maio de 2017

BACIA LEITEIRA – INÍCIO DE UM NOVO CICLO ECONÔMICO.

Hoje começou um novo ciclo econômico na economia de Novo Progresso. O sonho de um produtor rural torna-se realidade. Esse produtor e conhecido pelo nome de  João Borges, atual Secretário de Agricultura do Município de Novo Progresso. A bacia leiteira,  tornou – se  realidade devido o apoio dado pelo Prefeito Macarrão. O prefeito entendeu que  a ideia seria muito boa para a economia de Novo Progresso,   portanto não mediu esforços dando apoio para o Secretária de Agricultura tornar a bacia leiteira uma realidade que estamos vendo hoje.

Não podemos e não devemos esquecer do apoio da diretoria da Coopernova( Daniel – Presidente, Milton- Vice presidente, Odomeno Secretario), sem o apoio da diretoria da Coopernova  não teríamos iniciado a bacia leiteira, também os técnicos da Coopernova Welson e o Vando que trabalharam tanto para o desenvolvimento da logística como na instalação dos tanques.

Foi realizada diversas reuniões com os produtores rurais: Linha Gaúcha, Assentamento Nova Fronteira e Santa Julia, Vicinal Progresso, Bandeirantes, Comunidade São José. Vicinal União, Alvorada da Amazônia e KM – 1000. Nas reuniões com os produtores rurais  estiveram sempre presente o gerente do Banco da Amazônia Sr. José Luiz, Sicredi Sr. Marcos, Banpara Sr. Cleltom e Banco do Brasil Sr. Ricardo

Nas  reuniões com os produtores rurais foi falado da possibilidade da Coopernova se instalar no Município e também foi comentado por cada gerente sobre as linhas de credito. No final de cada reunião todos os produtores rurais presente foram convidados para participarem do projeto bacia leiteira.

Alguns produtores aderiram de imediato a vontade de participarem da bacia leiteira, porém outros não levaram a sério o projeto devido acontecimentos negativos do passado. Porém hoje todos produtores rurais são bem vindos a participar do projeto  porque a bacia leiteira foi criada para os produtores rurais. Informações procure a secretária de agricultura

Não podemos esquecer dos funcionários da Secretária de Agricultura que dentro das suas funções contribuíram para a implantação da bacia leiteira. Tendo os mesmos trabalhado em diversas frentes para que este projeto se tornasse realidade: Gilberto Alvarenga, Cleiton Junior, Arildo Faversani , Keila e Nelson.

A bacia leiteira ira contribuir de maneira significativa para a geração de emprego e renda, tanto no campo como na cidade, possibilitando alavancar a economia em diversos segmentos: agropecuário, supermercados, lojas, restaurantes e bares, bancos, etc.., porque os produtores rurais passarão a ter uma renda mensal e certa. É relevante observar que a bacia leiteira irá possibilitar a manutenção do produtor rural no campo.

A bacia leiteira não e apenas uma conquista do produtor rural. A bacia leiteira é uma conquista de todos munícipes de Novo Progresso.

Escrito por Gilberto Alvarenga

MAIS DE 9 MILHÕES SÃO LIBERADOS PARA SANTARÉM PELO DEPUTADO CHAPADINHA

O deputado federal Francisco Chapadinha (PTN-PA) esteve na Secretaria de Infraestrutura do Município de Santarém para acompanhar de perto os projetos que serão executados a partir da liberação de 9 milhões, 478 mil e 961 reais, provenientes de Emenda Parlamentar de sua autoria.

Cada item dos projetos que estão sendo elaborados, foi apresentado pela equipe da Seminfra, liderada pelo secretário Daniel Simões, que aproveitou para adiantar o asfaltamento de 1 quilômetro e meio da estrada que liga Alter do Chão, em Santarém, até a praia de Pindobal, no município de Belterra. Só para esta obra, Chapadinha liberou recursos de quase R$ 2 milhões. O serviço deve iniciar em julho.

Durante a reunião que teve a presença do prefeito Nélio Aguiar e do vice-prefeito, José Maria Tapajós, foi mostrada uma planilha com 44 quilômetros de ruas que receberão serviços de pavimentação e drenagem, graças aos recursos liberados pelo deputado, por meio de emendas e parcerias com os governos estadual e federal. Algumas já devem entrar em licitação para início das obras.

Só este ano, o deputado Chapadinha disponibilizou R$ 3 milhões que serão utilizados pela Prefeitura de Santarém nos serviços de pavimentação e drenagem da avenida Dom Frederico Costa; R$ 1 milhão e 100, para serviços no bairro Mapiri; R$ 2 milhões para a vicinal Alter do Chão Pindobal; R$ 1 milhão, 170 mil para a praça do Çairé; Um milhão, 649 reais e 219 mil reais para a pavimentação e drenagem de 5 vias do bairro Aeroporto Velho: Travessa Natal, Alameda 31, Rua Magnólia, Travessa Dália e Rua 29; e 464 mil e 142 reais para o serviço na rua Madre Imaculada. No total, são 9 milhões, 478 mil e 961 reais. A Prefeitura entrará com a contrapartida para esses serviços no valor de 1 milhão, 267 mil e 331 reais, ficando as obras orçadas em mais de 10 milhões de reais. “Em poucos meses esse dinheiro será revestido em obras”, disse o secretário Daniel Simões.

Foto: Ronaldo Ferreira

O titular da Seminfra elogiou o empenho do deputado Chapadinha na luta pelo desenvolvimento do município e, principalmente, pela preocupação com a melhoria da infraestrutura da cidade. “O deputado tem sido fundamental para conseguir recursos, e a interlocução política com outros políticos e setores para também encaminharem verbas para nossa cidade”, ratificou.

Desde que assumiu o mandato, Chapadinha não tem medido esforços para contribuir com o município de Santarém, no entanto, algumas barreiras vinham impedindo a utilização dos recursos liberados pelo deputado.
O prefeito Nélio Aguiar anunciou que, agora, Santarém saiu da inadimplência o que possibilitará a retomada de obras de infraestrutura. Para o prefeito, os valores substanciais que o deputado Chapadinha tem alocado, são extremamente importantes para garantir a melhoria das ruas, por exemplo.

ALTER DO CHÃO – PINDOBAL

Na tarde desta sexta-feira, o deputado Chapadinha acompanhou o secretário Daniel Simões na visita a estrada que liga Alter do Chão a praia de Pindobal, em Belterra. Eles foram conferir de perto a situação do local. O deputado cobrou agilidade no início da obra.

A estrada é uma das mais requisitadas pelos moradores dos dois municípios e, também, por turistas.  O projeto para o asfaltamento está em análise na Caixa Econômica Federal e a previsão é que em julho, após o período de licitação, o trabalho seja iniciado.

Chapadinha explicou que os recursos foram alocados no ano passado, no entanto, houve falhas na administração do governo Von e ficaram bloqueados. Agora, a verba está liberada para ser utilizada no serviço de pavimentação. “A gente está fiscalizando, passo a passo, porque queremos um serviço de qualidade e que tenha durabilidade”, disse Chapadinha.

O deputado vai em busca de recursos para que o restante da estrada, que está no município de Belterra, também seja contemplado. “Nós vamos em busca de parceria, porque nossa intenção é fazer toda a estrada”, acrescentou.


Além de asfalto, estão incluídos serviços de drenagem e sinalização. “A expectativa é que nesta atual gestão municipal muitas obras sejam realizadas com recursos que trabalhamos para serem viabilizados, e que contemplam a população de todo o município de Santarém”, finalizou o deputado Chapadinha.


terça-feira, 25 de abril de 2017

ATENÇÃO!

A C.A Consultoria em parceria com a Acinp Cdl Estará Realizando Treinamento Líder Coach nos dias 16 a 19 de Maio 1ª turma e 20 a 21 de Maio 2ª turma no Tapajós Palace Hotel Inscrições na Acinp Cdl...

Não perca esta chance ! Participem!

Mais Informações na Acinp Cdl.


domingo, 23 de abril de 2017

TENSÃO COM A COREIA DO NORTE: O MUNDO PODE ESTAR PRÓXIMO DA 3ª GUERRA MUNDIAL?


A tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte aumentou recentemente, com agressões e advertências verbais, além de alguns movimentos militares, o que gerou uma preocupação sobre uma nova crise entre duas potências nucleares.

Veículos de comunicação como o jornal americano em  The New York Times em e o britânico em The Guardian em chegaram a citar a possibilidade de um conflito e compararam o momento atual como a Crise dos Mísseis de Cuba, de 1962. Afinal, seria essa a crise nuclear mais preocupante em 50 anos? 

Especialistas ouvidos pela BBC divergem sobre as chances reais de um confronto mais acirrado - e potencialmente destrutivo - entre Washington e Pyongyang. 

Há um consenso de que a solução militar não seria a melhor para as diferenças entre os dois países e que, assim como fizeram soviéticos e americanos há quase 55 anos, Donald Trump e Kim Jong-un resolverão seus problemas na mesa de negociações. 

O conflito 

A crise atual se intensificou em 8 de abril, quando, após um teste de míssil frustrado pela Coreia do Norte, Trump disse ter enviado uma "armada muito poderosa" para a península coreana, uma referência ao porta-aviões USS Carl Vinson e a um grupo tático.

Por sua vez, o Exército norte-coreano exibiu no último fim de semana seu arsenal militar e tentou fazer um novo teste de mísseis de médio alcance. O exercício falhou novamente - o dispositivo explodiu pouco após o lançamento. 

Estava marcado para o mesmo dia o início de uma visita do vice-presidente americano, Mike Pence, à Ásia, que tem a Coreia do Norte como um dos principais temas de sua agenda. "A era da paciência estratégia (com Pyongyang) terminou", disse ele na segunda-feira, em visita à Coreia do Sul.

A resposta da Coreia do Norte foi breve, vinda de um alto diplomata do país: "Se os Estados Unidos planejam uma ofensiva militar, vamos reagir com um ataque nuclear preventivo".

A escalada de tensão alcançou um nível já considerado por alguns como a maior ameaça nuclear em 50 anos. O The New York Times classificou como uma "Crise dos Mísseis de Cuba em câmera lenta". "Quando as ambições nacionais, o ego pessoal e um arsenal mortífero se misturam, as possibilidades de erro de cálculo se multiplicam", disse o jornal.

Já o The Guardian afirmou que "nesse momento, a maioria das armas nucleares do mundo estão nas mãos de homens para quem a ideia de usá-las está se tornando factível", numa referência a Jong-um,  Trump e o presidente russo, Vladimir Putin.
Em Cuba, o episódio é lembrado como a "Crise de Outubro". No dia 15 deste mês em 1962, um avião espião dos EUA descobriu instalações na ilha que pareciam corresponder a mísseis nucleares de médio alcance, o que fez o governo de John F. Kennedy cercar Cuba imediatamente, enquanto navios soviéticos avançavam rumo à ilha.

Entre 22 e 27 de outubro daquele ano, o mundo experimentou o que era sentir-se à beira de uma guerra nuclear. Finalmente, negociações entre Moscou e Washington permitiram que o arsenal nuclear instalado na ilha voltasse à Rússia, enquanto um furioso Fidel Castro culpava os soviéticos de terem negociado pelas suas costas.

O prêmio Nobel da Paz e físico a favor do desarmamento nuclear Joseph Rotblat qualificou a crise dos mísseis como "o momento mais aterrorizante" da sua vida. Seria a crise atual o momento mais crítico desde então?

Sobrevivência 

Para Bates Gill, especialista em relações entre Estados Unidos e Ásia da Universidade Nacional da Austrália, trata-se de um pico da tensão nuclear em décadas.

"A situação mudou drasticamente nos últimos três anos por causa do desenvolvimento de armas nucleares pela Coreia do Norte, e isso pede uma abordagem diferente, com urgência", afirma ele, para quem "a expectativa da administração Trump de esperar que a Coreia do Norte se desfaça de seu arsenal nuclear claramente não funcionou".

Em contrapartida, Robert Einhorn, especialista em segurança e política externa do Instituto Brookings, de Washington, afirma que hoje nos encontramos "muito longe de estar à beira de um confronto nuclear como em 1962". "Não é tão preocupante como muitos dizem, mas a situação é claramente tensa por causa das declarações da Coreia do Norte", diz.

Ainda que não acredite na possibilidade de uma guerra nuclear, Einhorn afirma que "será muito difícil que o governo de Trump convença os norte-coreanos a eliminarem seu programa nuclear". O especialista afirma que, para Pyongyang, essas armas são consideradas garantias da sobrevivência do regime.

Apesar de afirmar que o momento atual reflete a maior tensão entre as duas potências em décadas, Gill diz que a crise diplomática não se resolverá com mísseis por duas razões: as declarações do governo de Trump e a pressão que a China pode exercer sobre Pyongyang.

"Duvido de uma guerra nuclear. O governo Trump vem declarando querer esgotar todos as vias diplomáticas e pacíficas. A opção militar seria a última, a menos que exista uma ameaça iminente."

Depois da crise em Cuba, Estados Unidos e União Soviética só voltaram a acender o sinal de alerta nuclar em 1983, com uma série de exercícios militares da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), tidos pela Rússia como um possível ataque atômico. Soviéticos preparam mísseis e alertaram suas bases na Alemanha Oriental e na Polônia.

O incidente teve uma repercussão menor que a crise cubana, mas ainda é considerada por historiadores como a maior relacionada a armas nucleares desde 1962 - até agora.


DOMINGO DA MISERICÓRDIA DO SENHOR JESUS

Hoje VENHA PARTICIPAR DO DOMINGO DA MISERICÓRDIA a partir das 13 horas na COMUNIDADE CANAÃ, venha participe desse momento de oração, louvor e adoração na comunidade Canaã, JESUS MISERICORDIOSO convida você e sua FAMÍLIA há vim, receber uma grande benção em sua vida venha e traga em seu coração muita Fé e Amor, PARTICIPE COM NOSCO HOJE AS 13:00h.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

HOSPITAL MUNICIPAL DE SANTARÉM TERÁ NOVA DIREÇÃO

O nome da médica Marina Chahinni está sendo bastante cotado para a direção do Hospital Municipal de Santarém. Ela deve substituir a farmacêutica Talita Cunha de Faria Liberal que entregou o cargo para concluir seu mestrado em Belém. No domingo Talita se despediu dos funcionários e disse que fica na direção do HMS até esta quarta-feira (19).

Em contato com nossa reportagem Talita Liberal informou que em virtude de seu mestrado, deve realizar experimentos na UFPA, em Belém, mais precisamente no Laboratório de Microbiologia Farmacêutica, por dois meses, tempo que a impossibilitará de atuar como diretora do HMS.


Fonte: RG 15/O Impacto

PREFEITURA DE SANTARÉM SAI DA LISTA DE INADIMPLENTES COM O GOVERNO FEDERAL

Município ficou impedido de receber recursos federais por quase dois anos. Com 'nome limpo', prefeitura vai ter acesso a R$ 22 milhões, segundo o governo.

A Prefeitura de Santarém, oeste do Pará, conseguiu renegociar dívidas junto ao Governo Federal, segundo informações do governo. Com isso, o Município fica adimplente no Cadastro Único de Convênios (CAUC), o chamado ‘Serasa das prefeituras’, podendo acessar recursos federais e fazer convênios com a União. O Município ficou inadimplente com a União por falta de prestação de contas de convênios da administração da ex-prefeita Maria do Carmo e de atraso no pagamento do INSS patronal na gestão do ex-prefeito Alexandre Von.

Segundo o governo, a dívida com a Previdência Social (INSS) chegava a pouco mais de R$ 76 milhões. Um acordo para a renegociação do montante vai possibilitar, inclusive, o desbloqueio de recursos na ordem de R$ 22 milhões, provenientes de um contrato entre o governo e a Caixa Econômica Federal. Os recursos, segundo o governo, serão aplicados na pavimentação de vias, assim como a retomada de obras que foram paralisadas no município.

De acordo com prefeito Nélio Aguiar (DEM), a inadimplência trazia uma série de prejuízos ao município, como dificuldades para receber recursos e realizar obras. Parte da dívida já foi paga e outra parte será quitada em parcelas.

“Isso abre as portas para que a gente possa realmente fazer convênios, captar recursos nas transferências voluntárias junto ao governo federal, emendas parlamentares, para realmente financiar vários projetos em Santarém”, destacou.


Quer saber mais notícias de Santarém e Região? Acesse G1 Santarém.



Fonte: G1

segunda-feira, 17 de abril de 2017

VELOZES E FURIOSOS 8 QUEBRA RECORDE DE MAIOR ESTREIA DE TODOS OS TEMPOS

Bilheteria do filme superou Star Wars e Jurassic World

Com impressionantes US$ 532.5 milhões arrecadados em seu primeiro fim de semana, Velozes e Furiosos 8 se tornou a maior estreia de todos os tempos do cinema. O longa teve um excelente desempenho em mercados internacionais, algo que compensou a bilheteria abaixo de Velozes e Furiosos 7 nos EUA.
Velozes 8 deixou pra trás Star Wars: O Despertar da Força (US$ 529 milhões) e Jurassic World (US$ 525.5 milhões) para assumir a primeira posição da lista de maiores estreias do cinema. Do meio bilhão arrecadado no fim de semana, US$ 432.2 milhões vieram dos 63 mercados internacionais onde o filme já está sendo exibido, com muita força vindo da China, enquanto US$ 100.2 milhões foram de cinemas norte-americanos.
Com Vin DieselDwayne Johsnon, Charlize TheronMichelle Rodriguez Jason Statham no elenco, Velozes e Furiosos 8 tem a direção de F. Gary Gray (Straight Outta Compton) e está em cartaz nos cinemas brasileiros.


ITAITUBA ESTÁ SENDO LESADA EM MILHÕES PELA NÃO COBRANÇA DE IMPOSTOS.

Vereador Peninha diz que a não cobrança de CFEM e ISS prejudica economia do Município.

O município de Itaituba, além de oferecer sua localização estratégica, hoje sendo explorada pelos portos, é rica em minério, de onde já foram exportadas toneladas de ouro, cassiterita, calcário e etc. Mas, pouco o Município usufrui, principalmente por ser prejudicado pelas leis e lesado nas taxas e  tributos. Este foi o tema tratado na sessão da última terça-feira (11), pelo vereador Peninha.

O Vereador disse que “temos hoje, a questão da CFEM-Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais, que o Município pouco recebe, por falta de uma fiscalização mais rigorosa dos órgãos responsáveis”.

O parlamentar fez um relato na tribuna. “Vejamos: no ano de 2012, Itaituba recebeu de CFEM R$ 796.256,32; em 2013, recebeu R$ 1.034.685,78; em 2014, recebeu R$ 1.611.520,70; em 2015, recebeu R$ 2.734,542,81 e em 2016, Itaituba recebeu R$ 4.871.548,50. Somente a Mineração SERABI, no ano de 2015, produziu 1 tonelada e 61 quilos de Ouro no garimpo do Palito, município de Itaituba. Foi a 9ª Mineradora a produzir ouro no Brasil em 2015”, informou.

Continuando, Peninha ressaltou que esta taxa poderia, caso houvesse uma fiscalização mais rigorosa, receber muito mais e os prefeitos não estariam andando de pires na mão em Belém e Brasília pedindo dinheiro.

O parlamentar propõe, que o Município assine um convênio com o DNPM, órgão responsável, para que possa fazer a fiscalização da produção de ouro que sai de Itaituba, pois com isso com certeza a Taxa de Compensação iria aumentar para Itaituba.

“Outro imposto, que o Município precisa correr atrás, é o ISS, que deve ser cobrado das pessoas físicas e jurídicas, que receberam junto ao DNPM Alvará de Pesquisa. Hoje, o DNPM no Pará já deve ter expedido em torno de 500 alvarás de pesquisas e quase nenhum dos titulares destas pesquisas recolheu ISS junto à Prefeitura”, denunciou.

Num cálculo que o Vereador fez sobre 500 Alvarás de Pesquisa liberados, cada um Alvará o valor do serviço estimado em R$ 2.000.000,00,chegou a um montante de R$ 1 bilhão. “Se for aplicada a cobrança do percentual de 5% sobre este montante, o Município teria que receber de ISS no mínimo R$ 50 milhões”, afirmou o edil. “Pergunto: quanto Itaituba recebe de ISS destas pesquisas? Precisamos ter esta resposta”, indagou Peninha.

“Por isso, temos que agir e fazer com que o município de Itaituba receba o retorno do que é justo”, anunciou.

No final de seu pronunciamento, Peninha solicitou da Câmara que envie ofício ao Diretor Geral do DNPM, Victor Hugo Froner Bicca e ao Superintendente do DNPM no Pará, Dr. Carlos Botelho, no sentido de o órgão enviar ao município de Itaituba a relação com nomes das pessoas físicas e jurídicas que receberam Alvará de Pesquisa, assim como a Planilha que consta o valor por Alvará destas pesquisas, afim de que sejam calculados os percentuais a serem cobrados de ISS destes beneficiários que receberam o Alvará de Pesquisa do DNPM para realizar o serviço no município de Itaituba. “Também, que seja assinado um convênio entre o DNPM e a Prefeitura Municipal de Itaituba para que o Município possa também fiscalizar a saída da produção de ouro e de outros minérios do Município. Forma esta que contribuiria muito para aumentar a Compensação Financeira de Itaituba”, encerrou Peninha.


Fonte: RG b15/O Impacto

MULHERES DE SETE MUNICÍPIOS DO PARÁ PARTICIPAM DO MAIOR EVENTO DE MUAYTHAI FEMININO.

Cerca de 500 pessoas prestigiaram a quinta edição do Thai Girls Evolution, que ocorreu na noite deste sábado (8), em Ananindeua. No total, 23 combates compostos somente por mulheres formaram o card de lutas. O evento é realizado pela Federação de Muaythai Tradicional do Estado do Pará (FMTTEPA) com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), e é o maior evento de muaythai feminino do Brasil, segundo a Confederação Brasileira de Muaythai e Muay Boran (CBMM).

O evento ocorreu no Ginásio da FMTTEPA e contou com a participação de 63 atletas das cidades de Capanema, Abaetetuba, Ananindeua, Bragança, Barcarena, Moju e Marituba. Seis atletas do projeto social da Federação “Luvas da Esperança” participaram da edição deste ano do evento. O projeto também é apoiado pela Seel.

Para Lucina Silva, coordenadora do Thai Girls, o grande objetivo deste evento é evidenciar a mulher no muaythai. “O objetivo foi mostrar que as mulheres estão inseridas de forma intensa no esporte. Nesta edição, desde a organização do evento, todos os árbitros e juízes, equipe de enfermagem, diretora de arbitragem e coordenadora são mulheres” enfatizou.



Fonte;http://www.seel.pa.gov.br/

sábado, 15 de abril de 2017

VIA-SACRA FAZ MEMÓRIA À PAIXÃO DE CRISTO

A memória da Paixão de Cristo revivida pela Via-sacra nas ruas de Novo Progresso.

Nesta sexta-feira, dia 14 às 19:00 horas centenas de fiéis, acompanharam a Via-sacra, diretamente que teve inicio as 19 horas desta sexta feira.

A sexta feira com saída da paroquia Santa Luzia Como todos os anos anteriores, houve encenação na edição de 2017.

Os participantes contemplaram, com meditações, as 14 estações da Via Cruz, que os levaram até o Santuário do Pai das Misericórdias.

Os momentos de profunda espiritualidade e reflexão contaram com vários jovens que encenaram a morte e ressurreição de Cristo.

Foram espalhadas diversas tochas pelo trajeto, que foi acompanhado, em procissão.

O intuito da Via-sacra é fazer memória aos momentos finais de Cristo na Terra, proporcionando-lhes uma grande experiência da Paixão de Nosso Senhor.

Última parada e encerramento  foi na ressurreição de Cristo em frente a prefeitura municipal.

O padre Josué informou que foram vários ensaios com grupo de jovens e saiu tudo com forme o ensaio emoção e muita fé eram presenciados nos fiéis.




Por :Edson Santos

terça-feira, 11 de abril de 2017

COMISSÃO APROVA TEXTO QUE ALTERA CATEGORIAS DE ÁREAS FLORESTAIS DA AMAZÔNIA.

Medida é criticada por grupos ambientalistas que afirmam que mudanças vão deixar terras vulneráveis à exploração irregular; relator nega. Proposta segue para plenário da Câmara.

Uma comissão especial no Senado aprovou nesta terça-feira (11) , por 12 votos a 3, uma medida provisória que altera os limites da Floresta Nacional do Jamanxim, no Pará, e cria a Área de Proteção Ambiental (APA) do Jamanxim.

A proposta segue agora para análise do plenário da Câmara e, se for aprovada pelos deputados, deverá ainda ser analisada pelo plenário do Senado.

De acordo com o deputado José Priante (PMDB-PA), relator da proposta, a APA do Jamanxim terá 486 mil hectares no município paraense de Novo Progresso.

O objetivo dessa APA, segundo o parlamentar, é regularizar a ocupação de terras por pessoas que estavam na região antes do estabelecimento da Floresta Nacional do Jamanxim, em 2006. O relatório de Priante prevê que, na APA do Jamanxim, serão permitidas atividades de pesca, manejo florestal, minerária e agropecuária.

Com a regularização, essas pessoas conquistarão a propriedade das terras que ocupam e, segundo Priante, terão “segurança” para explorar, de forma “sustentável”, os recursos minerais e agropecuários da área.

Catorze grupos de ambientalistas, entre os quais a WWF-Brasil e o Instituto Socioambiental, apresentaram uma carta aberta contra a aprovação da medida. Essas entidades argumentam que terras categorizadas como APA estão menos “protegidas” do que áreas classificadas como Floresta Nacional.

Os grupos ambientalistas dizem que a recategorização das terras pode deixá-las “vulneráveis” à exploração irregular e à especulação imobiliária.

“A MP 756 visa legalizar extensas áreas ocupadas ilegalmente por grileiros que se aproveitam do fato de haver na região ocupantes com mais de três décadas na região, misturando-se a eles e tentando confundir a opinião pública”, diz trecho da carta das organizações não-governamentais.

Priante negou que seu relatório vá permitir a “devastação” de áreas da Amazônia.

“Eu me sinto à vontade com o relatório, sem qualquer peso na consciência de estar tentando ampliar área que possa contribuir com devastação, com destruição da floresta [...] Apenas estamos recorrendo às diversas modalidades que existem na legislação ambiental para que possamos atender à preocupação originária da MP”, declarou.

Outras mudanças


Os parlamentares também incluíram na MP a alteração da categoria da unidade de conservação (UC) da Reserva Biológica Nascentes da Serra do Cachimbo, também no estado do Pará, para Parque Nacional Nascentes da Serra do Cachimbo. Esse trecho também foi criticado por ambientalistas.

A crítica ocorre porque também será criada uma APA dentro de uma parte dessa área, o que, na avaliação de opositores, pode diminuir a proteção sobre a região.

O relator argumentou que, com a mudança, a área poderá ser melhor aproveitada com a exploração do potencial turístico da região. “Tem cachoeiras belíssimas”, opinou.

Priante disse, ainda, que atualmente essa área já é explorada irregularmente, e que a criação da APA vai submeter os ocupantes da região à legislação ambiental, o que hoje não acontece.

Os integrantes da comissão também modificaram o texto original da MP para alterar os limites do Parque Nacional de São Joaquim, em Santa Catarina, e modificar o seu nome para Parque Nacional da Serra Catarinense.

Parlamentares contrários a essa modificação argumentaram que o tema é “estranho” ao objetivo original da medida, o que, na avaliação deles, pode provocar uma judicialização da proposta.

Outros pontos


O relator também retirou da proposta a ampliação do Parque Nacional do Rio Novo sobre a Floresta Nacional do Jamanxim, porque, segundo Priante, no local já há autorização para a realização de atividades de exploração de recursos.

Outro ponto modificado pelo relator com relação ao texto original diz respeito ao avanço da criação da APA do Jamanxim sobre uma área em que a floresta já foi derrubada e que já é explorada. “Isso criaria um conflito entre ambientalistas e pessoas que já exploram a região”, explicou o relator.

saiba mais

MAIS DO G1

http://g1.globo.com/politica/noticia/comissao-aprova-proposta-que-altera-categorias-de-areas-florestais-da-amazonia.ghtml